Somos muito pequenos. Mas isso é um problema?

Veja essa imagem:

palido_ponto_azul

Agora preste bastante atenção naquele pontinho branco, no meio dessa faixa alaranjada que corta essa imagem transversalmente. Sabe o que é aquele pontinho? É a Terra, o planeta onde moramos. Parece pequeno não é? E realmente é. Essa foto foi tirada há 28 anos, a uma distância de mais de 6 bilhões de quilômetros da Terra, depois que a sonda espacial Voyager I passou por Saturno. Até hoje é a foto mais distante tirada da Terra.

Um livro foi escrito sobre essa foto: o livro se chama “Pálido ponto azul” e faz referência à Terra, que naquela distância não é mais que um pequeno ponto azul claro na escuridão do universo. No livro, o astrofísico Carl Sagan (1934 – 1996) descreve todos os corpos que compõe nosso sistema solar, falando sobre possibilidades de exploração, viagens ou habitação humana. Sagan não diz diretamente, mas dá a entender que são poucas as possibilidades de morarmos em qualquer outro planeta já que somos feitos pra morar aqui, na Terra, e mesmo Marte, nosso primo mais próximo e que oferece as melhores condições para a habitação humana, tem condições tão adversas à vida que passar mais que um ano naquele planeta seria extremamente prejudicial à quem quisesse ficar. No fim, o autor diz que é mais fácil ficar aqui mesmo. Mas não é só ficar aqui, é ficar aqui e cuidar.

Somos pequenos demais em comparação à todo Universo que nos rodeia, preste atenção a toda parte negra da foto: aquilo é espaço vazio. Quantas Terras caberiam ali? Isso pode ser desesperador para alguns niilistas, mas pra mim diz apenas que eu preciso cuidar do lugar em que eu vivo. Eu preciso cuidar daqui, preciso ser uma pessoa bacana com aqueles que estão confinados comigo nessa pequena bola azul flutuando nesse imenso espaço. Eu preciso estender a mão à quem pede ajuda, eu preciso tomar conta da sujeira que eu deixo pra trás, eu tenho que me importar menos com a vida do outro e me preocupar mais com a convivência com todos.

Olhando essa imagem eu percebo que nosso planeta é pequeno demais pra tantos problemas, tanta intriga, tanta discussão besta, tanta desavença por tão pouco. Mas eu tenho que fazer caber uma palavra amiga, uma mão estendida ou uma gentileza simples. Por isso eu tento dar mais importância para o que possa haver de bom nele. Percebendo quão pequenos nós somos eu também percebo que não adianta ficar procurando o sentido da vida na Terra se eu não der um significado pra minha vida. Por isso eu tento dar um significado pra minha vida aqui, fazendo o melhor que posso a cada dia e desconsiderando qualquer intriga que faça a convivência com meu próximo ficar difícil.

Por saber da minha pequenez eu faço o possível pra fazer a convivência com meu próximo o mais grandiosa e prazerosa possível.

E qual o significado você tem dado à sua vida?

Se você se interessou pela história do livro “Pálido ponto azul“, sinto informar que infelizmente ele deixou de ser publicado em português em 1996, mas se quiser me mande um email que eu envio uma cópia digital gratuita para você.

Meu email é: lopes.marceloantonio@gmail.com